quinta-feira, 15 de outubro de 2009

A POPULAÇÃO

A População parece cega, pois para eles o ruim é bom e o bom parece Braga. A juventude é passageira, por isso tente não fazer besteira. Mas não entenda como: Cuidado para não errar!
Pois só quem erra aprende a acertar. Hoje você ainda é jovem e tudo parece em ordem.
Amanhã terá que aprender a conviver com um medo que te destrói, com um medo que te fortalece.
A coragem que está distante a covardia que prevalece. As lembranças que deveria esquecer são lembranças que sempre lembrará, até porque falando cria-se uma situação a qual vivemos do que falamos ou falamos do que vivemos.
Sentindo na pele o peso de cada palavra, desenvolvendo frases inúteis. Todos nós somos livres para fazer o que desejamos e muitas vezes despreparados para conviver e enfrentar as consequências.

Texto criado por:Débora Pires

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Que vento é este?


Sinto a brisa bater levemente em minha face.Sinto o vento correr rápido em meu corpo,gelando e arrepiando minha pele,bagunçando minha temperatura,atiçando meus sentidos.
Observo a transformação de um simples vento nas ondas do mar,um vento forte,que pretende chamar a atenção de quem o admira.
Vejo o vento ser ferramenta para a beleza urbana.
Vejo um vento destruindo o cenário da vida de quem fez historia em seu pequeno palco,mais conhecido como seu aconchegante lar.
Um vento que ajuda,um vento que atrapalha.
Seu vento,você é meu ar.O ar que respiro e que não pode faltar,ou tudo acaba,e o resto vira memória.

Texto criado por: Débora Pires

Resultado final

O que eu penso,muitas vezes,é jogado em uma lata de lixo cheia de ideias ignoradas.
O futuro é incerto,o destino é esperto e você não passa de um personagem.
Hoje abri a porta a espera de uma noticia boa,foi patético,pois nada fiz para recebê-la.
Sonhar é necessário mas viver de ilusões é inútil.
E já faz um bom tempo que “achar”não é suficiente para a sobrevivência humana.

Texto criado por: Débora Pires

Um mundo que ninguém vê

Uma linguagem fora de ordem.Um eu sem você.
Um mundo que espera sentado de braços cruzados um milagre acontecer,não sabe opinar,ou teme o que pode acontecer.
No transito engarrafado,alguns moleques sentados esperando o sinal fechar para,quem sabe,algumas moedas ganhar e assim se alimentar.
A cor imunda por traz de um papel colorido,que compra quase tudo que valor tem.Não vale nada quando vejo a cor da maldade,desgraça,destruição,e tantos outros pecados que vem e vão,sem ao menos pesar na alma e doer no coração.
Vivem pior que animais e nunca pedem perdão.


Texto criado por: Débora Pires

Um minuto de silêncio


Não se admire se amanhã o sol não aparecer e se um dia cinza e desagradável nascer. Um sol, uma vida, um dia que passou... E assim mais um dia se foi e com ele seu pensamento. Um pensamento distante, mas curioso. E quando o dia está escurecendo, nós seres humanos já estamos mostrando fisicamente o cansaço, então entramos em um sono onde viajamos até que o compromisso nos desperta, mostrando a rotina de um novo dia. A rotina nos faz prisioneiros do mesmo caminho, fazendo com que tudo pareça a mesma coisa todos os dias e, muitas vezes, nos confunde um pouco, fazendo com que muitas coisas importantes passem totalmente despercebidas. A incerteza e a preguiça fazem o ser humano acreditar que o mínimo alcançado é suficiente e assim, se acomodam. Hoje, daqui a algumas horas será amanhã, e o amanhã acaba em 24hs. O que você vai fazer nas próximas 24hs? O tempo passa rápido e os ponteiros podem ou não te impressionar. Os ponteiros não são apenas a contagem do tempo, mas a contagem do seu tempo. Tire um tempo de descanso onde a rotina não é a sua convidada principal.

Texto criado por: Débora Pires

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Teu Caminho


Os passos nos afastam ou nos aproximam de algo. Passos curtos, longos, rápidos ou lentos, te guiam para algum lugar, o teu lugar. Muitos podem conhecer o caminho que você quer trilhar, mas só você sabe o que quer. A luz do poste mostra seu caminho iluminado, então você passa por ela, ela perde a força e apaga,assim como o cansaço te joga para fora da tua estrada e você perde a força de trilhar seu caminho. De onde você está até onde pretende chegar há um longo caminho, e cansar é desistir, desistir é entregar-se. Entregar-se ao cansaço quer dizer fracassar e fracassar mostra o quanto você é incapaz de se responsabilizar por seus simples atos. Nesse trajeto não pegue carona, pois carona é fácil e o fácil torna-se difícil. O difícil para os fracos significa impossível, e o impossível é desistir de tudo, é o vazio interior onde os fracos colecionam derrotas. Siga seu caminho sem esperar esmolas desse mundo.

Texto criado por: Débora Pires